top of page
  • Writer's pictureNatureHub Brasil

Um papo com: Maurício Hoffmann, Fundador da Inkora, desenvolvimento de sistemas agroflorestais

Updated: Nov 21, 2023

"Floresta é lucro! Agrofloresta é dinheiro! Agroflorestas são os melhores negócios! Estamos buscando formas de desenvolver negócios florestais altamente rentáveis."



1. Qual é a sua formação e experiência em SBN (soluções baseadas na natureza)?


Sempre morei em fazendas, quando criança brincava nas florestas do Rio Grande do Sul. Desde 1985 moro nessa fazenda no DF, cresci aqui trabalhando com meus pais nas lavouras de soja, milho, pecuária e horticultura em hidroponia. Sou produtor rural e trabalho com produção de frutas em sistemas agroflorestais desde 2001. Fiz o curso de agronomia, mas minha história profissional é buscando soluções para plantar florestas altamente rentáveis, por isso fiz mestrado na área de análise econômica de sistemas agroflorestais. 


Encontrei indicadores econômicos muito interessantes em diversos projetos agroflorestais no Brasil, comparei estes projetos no meu mestrado, principalmente a estrutura florestal de cada um. Foi através deste estudo que percebi que a biodiversidade quando é planejada de acordo com o mercado, com o perfil de cada produtor rural e do ambiente de cada propriedade rural, gera arranjos de culturas agrícolas altamente rentáveis. Esse é o trabalho que tenho feito em muitas fazendas pelo Brasil.


Quando eu comecei a trabalhar com sistemas agroflorestais, precisei plantar muitas espécies florestais de forma rápida e barata, por isso tive de buscar uma solução baseada na natureza (SBN). Com o tempo desenvolvi uma metodologia de semeadura direta de sementes florestais sobre palhada. Essa metodologia é similar a metodologia do ISA, desenvolvi na mesma época que eles, os primeiros testes resultaram na minha monografia de graduação em 2003. Essa é outra área que tenho trabalhado, projetos de restauração florestal.


1985:


2002:



2. Como você descreveria a proposta de valor da sua organização para alguém novo no setor?


Nesse contexto de trabalho fundamos em 2017 a Inkóra Florestal LTDA, a empresa nasceu aqui dentro dessa fazenda de produção agroflorestal. Nosso trabalho está em diversos lugares no Brasil e exterior, atuando na área de projetos, assistência técnica, mecanização, coordenação de cadeias produtivas e cursos. Os trabalhos que temos realizado na área, seguem fases que compõe um plano de desenvolvimento de negócios agroflorestais.  Também faz parte de nossa atuação o desenvolvimento de máquinas para sistemas agroflorestais e restauração florestal, pesquisas e implantações com semeadura direta de sementes florestais. Além de fazendas comerciais trabalhamos também com agricultura familiar, povos indígenas e quilombolas implantando sistemas agroflorestais.


3. Quais são os números ou insights de mercado que mais entusiasmam você no espaço de SBN?


Nosso paradigma é “Agroflorestas são excelentes negócios” as taxas de retorno dos sistemas agroflorestais podem ser melhores que nos monocultivos.  Existem alguns casos consolidados no Brasil que comprovam isso, embora ainda não sejam a maioria. Esse é o desafio que nos move, usarmos a inteligência na construção desse potencial econômico dos SAFs. 


Então, um número que eu olho em projetos para tomada de decisão é a taxa interna de retorno – TIR, é como se fosse o juro sobre o investimento. Outro número que olho é o Ponto de Equilíbrio do negócio, pois o agricultor precisa ter uma estratégia de ultrapassar o mais rápido possível. E o caso é que a maior parte dos pequenos empreendedores rurais não sabe disso, nem para pecuária, nem para negócio algum. Se não existe uma rota de desenvolvimento financeiro do negócio para ultrapassar o PE, geralmente não cresce, fica na conversa de gerar renda, o que geralmente é prejuízo.


Assim, se um negócio agroflorestal precisa de 5 hectares em produção para gerar lucro, lucro é sobra, pagar tudo e sobrar. Se o agricultor plantou apenas 4 hectares ele está descapitalizando, perdendo dinheiro. Não está pagando tudo o que precisa ser pago, as vezes é o trabalho dos filhos, que não está sendo valorizado, então eles não vão querer continuar na atividade. Essa é a dura realidade dos pequenos agricultores. Mas cada negócio agroflorestal tem um tamanho mínimo para ser capaz de pagar todas as contas, precisa calcular.


Já em negócios maiores os desafios são a mecanização, mão de obra especializada, capital de investimento e conhecimento técnico. Mas esses desafios são os mesmos em todos os segmentos de produção rural. Por isso, que eu vejo que com os estudos e a divulgação dos casos de negócios de sucesso, a tendência é a expansão cada vez mais rápida deste sistema de produção. 


4. Quais são as principais dificuldades ou gargalos que, se resolvidos, podem e têm contribuído para o crescimento das SBN?


Os desafios para um produtor rural em todos os segmentos, são quase os mesmos e são muitos. Na análise de cadeias produtivas, chamamos de fatores críticos a cadeia produtiva, são barreiras ao segmento. Esse tipo de estudo é feito por região e por produto agrícola. Resulta em informações que orientam a coordenação da cadeia produtiva, e dentro da porteira, uma modelagem financeira de um arranjo agroflorestal, que se tornará um negócio, acoplado ao mercado, adequado a cada propriedade rural e o perfil do empreendedor.


Os fatores críticos podem ser: dificuldades com logística, insumos, mecanização, capital de investimento, mão de obra, agroindustrial, entre outros. Por isso é tão estratégica a ação profissional de coordenação de cadeias produtivas, no nosso caso cadeias produtivas agroflorestais. 


5. Você pode ajudar a esclarecer ou contextualizar uma palavra/conceito no espaço SBN que você acha que é frequentemente mal compreendido?


Esse sistema de produção é tão antigo e ao mesmo tempo uma inovação tecnológica. Essa é uma pergunta paradigmática: Se são sistemas de produção com tantos benefícios econômicos, ambientais e sociais, porque tão poucos estudos, máquinas, recursos financeiros disponíveis?


É fixar o homem no campo ou é auxiliar as famílias a prosperarem plantando Florestas? Com esse trabalho, não estamos apenas fixando o homem no campo e sim, as famílias nas florestas, estamos auxiliando famílias a viverem de agro florestas, a realizarem a prosperidade. Floresta é Lucro! Agrofloresta é dinheiro! Agroflorestas são os melhores negócios! Estamos buscando formas de desenvolver negócios florestais altamente rentáveis.


6. O que você gostaria de compartilhar com a comunidade NatureHub Brasil?


Esses mais de 20 anos de experiência em negócios agroflorestais, vencendo desafios aqui em nossa fazenda, juntamente com o conhecimento gerado em outros projetos agroflorestais que estamos desenvolvendo, está organizado em um curso online, com aulas sobre sucessão vegetal, adubação, fertirrigação, mecanização e administração, e com projetos de sistemas agroflorestais, os quais estão sendo desenvolvidos no Brasil, projetos comerciais, com todos os indicadores econômicos (custos, receitas, TIR, investimento, período de retorno, ponto de equilíbrio,...) e o plano de execução operacional. 



Se quiser conhecer mais desse trabalho, pode procurar em 


E nossa demanda para a comunidade é: 

1) Precisamos de apoio financeiro aos projetos de restauração agroflorestal que estamos desenvolvendo. 

2) Precisamos de pessoas que gostem de trabalhar nessa área e queiram somar conosco.



 
🌱 Para acompanhar mais entrevistas com especialistas da comunidade NatureHub

26 views0 comments

Comments


interview
bottom of page