top of page
  • Writer's pictureNatureHub Brasil

Instituições da Indústria: descubra o segmento 6 de 12

Updated: Sep 25, 2023


Bem-vindo de volta ao NatureHub - Catalisando uma comunidade na interseção entre as soluções baseadas na natureza (SBN), investimentos, e inovação digital 🍃 🤖

Já estruturamos mais de 400 organizações SBN em uma cadeia de valor que possui 12 segmentos, hoje apresentamos o sexto segmento - Instituições da indústria 🧩

Neste post vamos apresentar:

  1. Quem representa este segmento da cadeia de valor das SBN?

  2. Quais são as principais conclusões sobre esse segmento no banco de dados?

  3. Visão da especialista - Um papo rápido com Carla Zorzanelli, Coordenadora @ Aliança Brasil NBS

Recomendamos que você acesse esse link e preencha o formulário de inscrição gratuita do banco de dados NatureHub para complementar a leitura abaixo 🌐


 

1. Quem representa este segmento da cadeia de valor das SBN?



O segmento de instituições da industria representa as partes interessadas que são responsáveis pela governança, regulamentação e pesquisa no setor brasileiro de soluções baseadas na natureza. Trata-se, em grande parte, de instituições administradas pelo governo que orientaram o setor agrícola ao longo de sua história, mas que agora estão começando a direcionar seus esforços para atividades agrícolas regenerativas e sustentáveis.

O segmento faz parte da vertical de aliados do setor devido ao seu apoio aos proprietários de projetos de soluções baseadas na natureza nos estágios iniciais do projeto. Por exemplo, inteligência regulatória, novas oportunidades de financiamento e outros serviços que podem tanto semear quanto acelerar projetos. Embora o segmento esteja posicionado upstream, as partes interessadas terão uma influência importante sobre as atividades em toda a cadeia de valor. As características diferenciadoras das instituições da industria em relação a outros segmentos dentro do vertical são suas atividades que têm uma influência ativa na formação da política e da governança do setor.

Estamos observando cada vez mais o crescimento de organizações especificamente orientadas e governadas para o setor de soluções baseadas na natureza, por exemplo, a Coalização Brasil (352 membros) e a Aliança Brasil NBS (23 membros). São organizações sem fins lucrativos voltadas para a comunidade que atraíram membros que normalmente são os fundadores de projetos de soluções baseadas na natureza, incluindo agrossilvicultura, reflorestamento e outras iniciativas de agricultura sustentável. Essas iniciativas são fundamentais para preencher a lacuna entre os projetos de SBN e o governo, garantindo que a política continue a ser moldada para e compreendida pelos fundadores de SBN e pelo crescimento de seus projetos.



 

2. Quais são as principais conclusões sobre esse segmento no banco de dados?



Hoje adicionaremos 17 novas organizações ao banco de dados, representando o segmento Instituições da indústria (você pode acessar aqui).

Esse segmento representa 3.8% do banco de dados completo (400+ organizações) que a gente vai compartilhar durante as próximas semanas.

Alguns destaques que encontramos:

  • 4% desse segmento são organizações brasileiras sem fins lucrativos, o que permite que elas se concentrem em apoiar o crescimento do setor

  • 59% desse segmento são organizações de think tanks, que publicam ativamente pesquisas primárias para influenciar políticas

  • 6% desse segmento estão focados em pesquisas sobre finanças sustentáveis, ajudando o setor a inovar continuamente e a melhorar o acesso ao financiamento

Exemplos de organizações brasileiras nesse segmento incluem: INSA, Imaflora, Embrapa, Laboratório de Inovação Financeira, Kanindé, Imazon

 

3. Visão de especialista - Um papo rápido com Carla Zorzanelli, Coordenadora @ Aliança Brasil NBS


i) Qual é seu papel e experiência no mundo das SBN?

Há 18 anos trabalho com projetos tanto no Brasil como em outros países em empresas, ONGs, Start-ups e organizações internacionais, mas principalmente nos últimos 11 anos tenho como foco as áreas de meio ambiente e de desenvolvimento sustentável e social. Fui consultora da ONU no setor de desenvolvimento sustentável, fazendo parte da equipe responsável pela conferência mundial Rio+20 e também tive a oportunidade de fazer um mestrado com foco em meio ambiente, sustentabilidade e regeneração planetária pela Schumacher College (UK). Atualmente sou Coordenadora da Aliança Brasil NBS.


ii) Como você descreveria a proposta de valor da Aliança Brasil NBS para alguém que é novo na indústria?

A Aliança Brasil Nature-based Solutions tem a finalidade de promover e estimular uma agenda de combate ao desmatamento e degradação ambiental por meio da criação de diretrizes e boas práticas, gerando um ambiente de negócios seguro e confiável. A união das instituições da Aliança, que é constituída atualmente de 23 membros, representa mais de 60% do mercado voluntário de créditos de carbono no Brasil.

Além disso, a Aliança preza pela integridade do mercado contribuindo ativamente para que os projetos sejam de alta qualidade e tragam de fato o impacto ambiental e social sugerido. Essas contribuições se dão por exemplo por meio de ações como análise técnica de todos os projetos de NBS submetidos para certificação no Brasil, a elaboração de publicações e guias de boas práticas, participação em consultas públicas e eventos e, a realização de workshops externos e grupos de trabalho internos. Todas essas ações visam contribuir também para o desenvolvimento do setor.


iii) Quais são os números ou insights de mercado que te animam no espaço das SBN?

A magnitude da realidade climática atual chama pela adoção de múltiplas ações, de diferentes dimensões, com o intuito de reduzir as emissões de GEE, inclusive no curto prazo. Neste sentido, investimentos em Soluções Baseadas na Natureza (NBS) são essenciais e necessários à transição para uma economia net zero.

No último Nature-based Solutions Investment Summit, vimos que para fazermos uma transição para uma economia Net Zero, os setores de Energia, Transporte e Indústria precisam receber um investimento de 100 trilhões de dólares para contribuir para 70% da redução de emissões globais de gases de efeito estufa. Se pensarmos no potencial das Soluções Baseadas na Natureza, com um investimento de um décimo deste valor, ou seja, 10 trilhões de dólares, alcançamos uma contribuição de 35% de redução.

O Brasil mais especificamente representa 20% das oportunidades globais em NBS dada a sua extensão territorial e rica biodiversidade de acordo com dados do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). E com a tendência crescente de projetos em NBS, há o potencial para termos 20% de desmatamento evitado no Brasil até o final da década.

Assim, as Soluções Baseadas na Natureza (NBS) devem exercer um papel central no combate às mudanças climáticas nas próximas décadas, e iniciativas voltadas à redução de emissões do desmatamento de florestas tropicais e restauro e reflorestamento devem desempenhar um papel central para o Brasil, tanto em termos ambientais quanto econômicos.


iv) Quais são as principais dificuldades ou gargalos que, se resolvidos, podem e têm contribuído para o crescimento da SBN?

Com o crescimento do mercado de créditos de carbono, vemos o aparecimento de alguns entrantes que não estão alinhados com as boas práticas e integridade do mercado, se tornando comum o desenvolvimento de projetos com baixa qualidade técnica e que se utilizam da inflação intencional dos cálculos de linha de base para aumentar a emissão e venda de créditos de carbono, o que mina a credibilidade do setor e das empresas que estão desenvolvendo projetos sérios. Alguns entrantes também espalham promessas comerciais vazias e ignoram a necessidade das comunidades locais no desenvolvimento de projetos em terras públicas que são pertencentes às comunidades tradicionais e povos originários. Essa prática traz um impacto negativo direto para a região onde atuam, validando práticas vinculadas à grilagem de terras e o assédio às comunidades tradicionais e Povos Originários.

Um gargalo que temos sentido também com o aumento dos projetos de soluções baseadas na natureza é no processo de registro da Verra. O Verra Registry é a base para a implementação dos padrões e programas da Verra (certificadora) e facilita a listagem transparente de informações sobre projetos certificados, unidades emitidas e retiradas e possibilita a negociação de unidades. Porém, com a alta demanda, há nesse momento uma lentidão desse processo, o que está gerando um grande gargalo para o mercado. Como os créditos não são entregues em tempo razoável, já vemos como consequência a inviabilização de alguns projetos e empresas. Além disso, como não há previsão de quando o crédito sairá, esse problema gera uma diminuição da confiança no mercado e as organizações ficam receosas para comprar mais créditos.

Um outro desafio enfrentado é a falta de regularização fundiária que acaba gerando um grande entrave de segurança jurídica com relação a uma grande parcela de imóveis rurais onde serão executados os projetos de NBS. Para a implantação dos projetos de REDD+ que vem auxiliar na redução das emissões por meio da diminuição do desmatamento e da degradação ambiental, é necessário que a área esteja totalmente regularizada e licenciada, o que não é a realidade em muitos dos territórios na Amazônia legal onde boa parcela dos proprietários que buscam implantar este tipo de projeto ainda não possuem documentação ajustada e atualizada. O Brasil está avançando no ordenamento do seu território, porém o ritmo destes processos ainda é lento diante da urgência climática que estamos vivenciando, o que implica também em oportunidades desperdiçadas para o país.

Além disso, vemos que o setor no Brasil ainda está se desenvolvendo e muitos processos internacionais que funcionam em outros países são trazidos para o nosso país sem levar em consideração a realidade regional brasileira. Portanto, se faz necessário uma tropicalização das metodologias implementadas para que as diferentes nuances, características, desafios e oportunidades locais possam ser levados em consideração para uma melhor implementação, verificação e certificação dos projetos.


v) O que você diria para a comunidade NatureHub Brasil?

Estamos vivendo um momento crucial para o Brasil. Desenvolver soluções inovadoras que conciliam o desenvolvimento social e econômico de regiões detentoras de florestas tropicais, a partir da conservação destes biomas, do uso sustentável dos recursos naturais e do reflorestamento, é uma das peças-chave para conectar o Brasil à nova economia do século XXI. Nossa rica biodiversidade e extensão de florestas nos convida a impulsionarmos os projetos baseados em soluções baseadas na natureza para que o meio ambiente tão rico que nos cerca possa continuar florindo e se regenerando. Cada um de nós pode contribuir com esse processo, como por exemplo reduzindo suas emissões de gases de efeito estufa, compensando o carbono emitido das suas atividades diárias e extraordinárias e cobrando organizações para a redução de emissões e a implementação de políticas de compensação e reflorestamento. Há um grande potencial para o Brasil virar referência internacional em preservação da natureza se nos inspirarmos nas NBS. Esse caminho depende de todos nós.


 

Esperamos que tenham gostado o novo segmento, na próxima semana continuamos a jornada pela cadeia de valor das SBN!



💡Quer continuar aprendendo mais?💡

Acesse o link para se inscrever e participar na experiência de 12 semanas que dará acesso a um banco de dados gratuito de mais de 400 organizações de SBN.

25 views0 comments
interview
bottom of page