top of page
  • Writer's pictureNatureHub Brasil

Operações Agro de SBN: conheça o segmento 11 de 12 da cadeia

Updated: Sep 25, 2023


Bem-vindo de volta ao NatureHub - Catalisando uma comunidade na interseção entre as soluções baseadas na natureza (SBN), investimentos, e inovação digital 🍃 🤖

Já estruturamos mais de 400 organizações SBN em uma cadeia de valor que possui 12 segmentos, hoje apresentamos o décimo primeiro segmento - Operações Agro de SBN 🧩

Neste post vamos apresentar:

  1. Quem representa este segmento da cadeia de valor das SBN?

  2. Quais são as principais conclusões sobre esse segmento no banco de dados?

  3. Visão da especialista - Um papo rápido com Sarah Sampaio, Diretora Executiva da Café Apuí Agroflorestal

Recomendamos que você acesse esse link e preencha o formulário de inscrição gratuita do banco de dados NatureHub para complementar a leitura abaixo 🌐

 

1. Quem representa este segmento da cadeia de valor das SBN?



O segmento da cadeia de valor desta semana, Operações Agro de SBN , representa soluções e modelos de negócios criados para atender aos produtores de SBN que implementam operações agroflorestais ou agrícolas sustentáveis no setor de alimentos e produtos. Isso inclui o apoio a pequenos agricultores para que aumentem a produtividade, também como o incentivo a operações agrícolas maiores para que façam a transição de métodos industriais tradicionais para métodos mais regenerativos.


Um estudo recente da Evolve Business Intelligence estimou que o mercado global de agricultura regenerativa está avaliado hoje em US$ 10 bilhões e deverá apresentar um CAGR de 16,1% entre 2023 e 2033. A agricultura regenerativa vai além dos métodos agrícolas convencionais, empregando técnicas que reconstroem a matéria orgânica do solo, aumentam a infiltração e a retenção de água, promovem o sequestro de carbono e estimulam os ecossistemas naturais.


Algumas das maiores empresas do setor, como a Danone e a Cargill, estão adotando ações públicas para tentar apoiar a transição para a agricultura regenerativa; no entanto, muitos dos participantes desse segmento têm como objetivo impulsionar mudanças de baixo para cima, visando a parte fragmentada do mercado de pequenos proprietários. Isso inclui ajudar os produtores de alimentos a gerenciar operações de ponta a ponta, incluindo banco de sementes, gerenciamento de estufas, irrigação e venda de produtos.


Paralelamente, uma grande parte das soluções visa ajudar a reunir os pequenos proprietários para que participem do mercado de carbono. Atualmente, os investidores do mercado de carbono estão buscando escala, e muitos desses produtores não conseguem atender aos critérios em termos de volume de carbono capturado e créditos gerados. As soluções emergentes visam criar uma abordagem cooperativa que agrupe projetos menores em parcelas maiores de créditos, empacotando-os de uma forma mais atraente para os investidores.


Os créditos de carbono gerados a partir de atividades agrícolas sustentáveis ou regenerativas podem criar um novo fluxo de renda para os produtores, e muitos dos outros participantes do segmento pretendem fazer isso de maneiras inovadoras. Uma grande parte do processo agrícola pode gerar resíduos biológicos que historicamente têm pouco uso, como a casca de uma laranja quando a fruta é usada para fazer suco. No entanto, o segmento inclui startups que estão ajudando a transformar a casca da laranja em novos subprodutos, como tecidos para moda. Mentes criativas estão pensando em todo o mercado de frutas e alimentos para identificar outras oportunidades de replicação e gerar novos fluxos de receita.


Em resumo, esse segmento tem como objetivo representar os fornecedores de soluções que atendem aos produtores de alimentos e frutas de hoje. Eles visam recompensar as práticas agrícolas regenerativas e também apoiar os produtores com acesso a novos fluxos de receita que podem diversificar a renda e aumentar a segurança dos negócios.

 

2. Quais são as principais conclusões sobre esse segmento no banco de dados?



Hoje adicionaremos 61 novas organizações ao banco de dados, representando o segmento de Operações Agro de SBN (você pode acessar aqui).

Esse segmento representa 13.8% do banco de dados completo (400+ organizações) que a gente vai compartilhar durante as próximas semanas.

Alguns destaques que encontramos:

  • 26% das organizações desse segmento tem matriz no Brasil

  • 20% das organizações desse segmento estão focadas no apoio a pequenos produtores para que tenham acesso aos serviços e ferramentas necessárias para cultivar de forma sustentável do ponto de vista econômico e ambiental

  • 7% das organizações desse segmento estão focadas em genética de plantas, com o objetivo de ajudar os agricultores a melhorar a força e a qualidade de seus produtos

Exemplos de organizações brasileiras nesse segmento incluem: Symbiomics, Amazonia 4.0, FarFarm, Produzindo Certo, Viva Floresta, Bioverse, Café Apuí, Agrotools, 100% Amazônia

 

3. Visão de especialista - Um papo rápido com Sarah Sampaio, Diretora Executiva da Café Apuí Agroflorestal


i) Qual é seu papel e experiência no mundo das SBN?

Eu nasci e fui criada em uma grande cidade do interior paulista, mas minha casa teve o privilégio de ser cercada pela natureza e muitos animais. Desde criança, sinto uma conexão profunda com a natureza. Antes de seguir carreira nas Relações Internacionais e no setor de café, cheguei até a cursar veterinária. Hoje, percebo que posso contribuir muito mais atuando na empresa Amazônia Agroflorestal.

Vim para o Amazonas para trabalhar com educação e fui profundamente conquistada pelas pessoas, pela cultura vibrante e pelo poder que a natureza expressa em todo o estado. Aqui, encontrei um verdadeiro tesouro de biodiversidade e uma riqueza de conhecimentos tradicionais passados de geração em geração. É inspirador ver as comunidades locais que têm uma relação de respeito e harmonia com a natureza, entendendo a importância de preservar e cuidar desse patrimônio único e ao mesmo tempo nos ensinando como aproveitar essa riqueza de forma sustentável.

Agora, estamos inovando e criando um novo paradigma de como as empresas podem causar impactos positivos no mundo. Cultivamos nosso produto em harmonia com a natureza, regenerando a Floresta Amazônica e transformando a realidade de dezenas de famílias no sul do Amazonas. Estamos vivenciando uma experiência que nos permite enxergar o futuro e entender como o mercado e o futuro da humanidade podem ser. E, mais importante, quais caminhos devemos seguir para construir esse futuro.

A iniciativa do Café Apuí Agroflorestal está mostrando a viabilidade dessas soluções, aliadas à conservação e regeneração da natureza. Estamos mostrando que é possível criar um modelo de negócio que respeite a natureza, traga benefícios socioeconômicos e, ao mesmo tempo, produza um café excepcional. Estamos criando uma nova forma de fazer negócios, baseada na sustentabilidade e no cuidado com o nosso planeta.


ii) Como você descreveria a proposta de valor do Café Apuí para alguém que é novo na indústria?

A proposta de valor do Café Apuí Agroflorestal se baseia em três pilares principais: qualidade, sustentabilidade e impacto social. Qualidade: Nosso café é produzido com grãos agroflorestais, de qualidade, cultivados de forma cuidadosa e sustentável na Amazônia. Cada xícara oferece uma experiência única, com aroma e sabor intensos do café Robusta, proporcionando um momento de prazer e apreciação para os amantes de café.

Sustentabilidade: Nosso modelo de produção é baseado na agrofloresta, um sistema que promove o equilíbrio entre a produção agrícola e a conservação e regeneração da floresta Amazônica. Ao cultivar o café em harmonia com a natureza, preservamos a biodiversidade, recuperamos áreas degradadas e revertemos o impacto ambiental, contribuindo para a conservação da Amazônia. Ainda, através da certificação orgânica, nossa produção é feita em harmonia com a natureza e é mais saudável para quem faz e quem consome. Impacto Social: Trabalhamos em parceria com agricultores familiares locais, fortalecendo as comunidades rurais e gerando renda sustentável. Garantimos a compra de toda a produção das famílias seguindo os princípios de comércio justo, com pagamento de prêmios e com valores acima dos de mercado.

A Amazônia Agroflorestal, empresa responsável pelo Café Apuí Agroflorestal em parceria com o Idesam (Instituto de Conservação de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia), traz uma nova proposta de empresa para o mundo. Uma empresa que nasceu pelo impacto socioambiental e que alia investimentos a fundo perdido e investimento privado para potencializar o desenvolvimento da região do sul do Amazonas. Além disso, utilizamos de um modelo inovador de captação de investimento com base no retorno em créditos de carbono que está possibilitando a expansão da Iniciativa a mais famílias produtoras em Apuí e região e aumentando nosso compromisso com a sustentabilidade e geração de renda para as famílias, com a conservação das florestas nativas das propriedades parceiras. Acreditamos que a união de todos os setores da sociedade é essencial para mudarmos a forma como nos desenvolvemos, nos alimentamos e vivemos em sociedade e é isso que fazemos com o Café Apuí Agroflorestal.


iii) Quais são os números ou insights de mercado que te animam no espaço das SBN?

É gratificante ver o movimento crescente de conscientização dos consumidores em relação à origem dos produtos que consomem. Um exemplo disso é o nosso parceiro, o Mercado Livre, o maior marketplace da América Latina. Segundo o relatório de impacto deles de 2022, houve um aumento significativo de 22% no número de pessoas que compraram produtos de impacto positivo na plataforma. Além disso, registrou-se um crescimento de 29% no número de produtos de impacto positivo comercializados em comparação com o ano anterior.

Esses números são indicadores claros de como esse mercado está em ascensão e refletem a crescente preocupação e conscientização dos consumidores em relação à origem e ao impacto dos produtos que adquirem. Esse movimento é altamente mobilizador, pois precisamos do apoio do mercado consumidor para estabelecer e fortalecer cadeias produtivas de impacto positivo, como a nossa.

Cada xícara de Café Apuí Agroflorestal vendida e apreciada no Brasil e no mundo está contribuindo para a regeneração da Floresta Amazônica e para a garantia de renda crescente para as famílias da agricultura familiar do sul do Amazonas. É por meio dessa parceria entre consumidores conscientes e produtores comprometidos que conseguiremos impulsionar uma transformação positiva na sociedade e no meio ambiente.


iv) Quais são as principais dificuldades ou gargalos que, se resolvidos, podem e têm contribuído para o crescimento das SBN?

Sem dúvida, uma das maiores dificuldades e desafios enfrentados pela sociobioeconomia da Amazônia está relacionada à logística. Existe um crescente movimento de negócios sustentáveis e baseados na natureza na região, e todos eles enfrentam problemas quando se trata da chegada de insumos e do envio de produtos para o Brasil e para o mundo. Sabemos que é crucial debater e encontrar soluções para construir uma rede logística que não cause impactos negativos, mas a realidade é que esse problema persiste. Além disso, a falta de uma regulamentação para o setor acaba desprivilegiando quem está ‘fazendo direito’, que acaba sofrendo também os impactos por notícias de greenwashing, por exemplo, além de ter uma margem de competitividade menor nos grandes mercados, por toda dificuldade de logística e alto custo da região.

No entanto, podemos nos inspirar nos próprios negócios baseados na natureza para encontrar uma solução. Podemos pensar em uma rede logística que, além de eficiente, cause um impacto positivo na natureza e contribua para o desenvolvimento sustentável da Amazônia. Podemos buscar alternativas como o uso de transportes mais sustentáveis, parcerias com comunidades locais para o fornecimento de insumos e produtos, e o estabelecimento de cadeias de suprimentos responsáveis e transparentes. A inovação e o desenvolvimento de tecnologias são essenciais para solucionar esses gargalos, a Amazônia tem que ser um grande hub de inovação e exemplo para o mundo de que é possível fazer diferente.

Ao enfrentarmos esse desafio, estamos não apenas garantindo a viabilidade econômica dos negócios baseados na natureza, mas também preservando a riqueza natural da Amazônia e promovendo um modelo de desenvolvimento sustentável. É um trabalho complexo, mas fundamental para garantir um futuro harmonioso para a região e para o planeta todo.


v) O que você diria para a comunidade NatureHub Brasil?

Para a comunidade Nature Hub Brasil, eu gostaria de compartilhar meu reconhecimento pelo trabalho que vocês realizam. A Nature Hub é um espaço de conexão e colaboração, reunindo pessoas e organizações comprometidas com a preservação e regeneração do meio ambiente e precisamos de cada vez mais espaços que potencializem esse tipo de ação conjunta.

Nesse momento crucial em que enfrentamos desafios ambientais e climáticos, a união e o compartilhamento de conhecimento são fundamentais. Precisamos de um ambiente propício para a troca de ideias, projetos e soluções inovadoras. Continuem sendo agentes de transformação e promotores da conservação e regeneração ambiental. Cada ação, por menor que seja, contribui para a construção de um futuro mais sustentável. Juntos, podemos fazer a diferença e deixar um legado positivo para o planeta. Sigamos em frente, conectados pela nossa paixão pela natureza e pela busca de um mundo mais verde e equilibrado.


 

Esperamos que tenham gostado do novo segmento. Na próxima semana continuamos a jornada pela cadeia de valor das SBN!


💡Quer continuar aprendendo mais?💡

Acesse esse link para se inscrever e participar na experiência de 12 semanas que dará acesso a um banco de dados gratuito de mais de 400 organizações de SBN.


41 views0 comments

Comments


interview
bottom of page